Páginas

8 de mai de 2013

Sensíveis a nossa miséria | Jonathan Edwards



Tem misericórdia de nós, ó Senhor, tem piedade de nós, pois estamos extremamente cheios de desprezo.

- Salmos 123:3 -


“Cheios de desprezo” pode parecer duro para alguns. Mas esta é a maneira que a misericórdia de Deus prepara o homem, os dá uma clara percepção de sua miséria e indignidade perante Ele, e depois disso aparece em Sua misericórdia e amor para com eles. Sem a marca dessa percepção de indignidade e desprezo, o homem não está sendo conduzido pela misericórdia soberana. A misericórdia diante da percepção plena de nossa indignidade e que Deus mostra a partir de então quando o traz para casa, aos pés da cruz, para o Senhor Jesus Cristo, é a maior e mais maravilhosa exposição de misericórdia e amor de que um ser humano pode estar sujeito.


Há outras maneiras e formas em que Deus manifesta a Sua grande misericórdia e bondade para com os homens em seus muitos favores temporais. As misericórdias que Deus concedeu ao seu povo outrora: José avançando e crescendo no Egito,  a libertação dos filhos de Israel do Egito, a condução através do Mar Vermelho fazendo-as caminhar em terra seca, Seu braço forte os levando a Canaã, expulsando as nações de diante deles, ao longo de todo tempo os resgatando das mãos de seus inimigos... foram muitas as misericórdias. Mas elas são completamente diferentes do salvar o seu povo da culpa e do domínio do pecado. Deus tem que levá-lo a ver com clareza seu estado: “pois estamos extremamente cheios de desprezo.”


É com esse profundo sentimento de indignidade e desprezo que Deus prepara os homens para a mais espantosa de todas as misericórdias, tornando-os sensíveis de modo profundo de sua culpa e miséria, de modo que só a esses Ele faz conhecer de fato este grande amor em Jesus Cristo.


Quando o desígnio de Deus é mostrar a um pecador Sua misericórdia, Ele primeiro os leva a refletir sobre si mesmo ( e não o que eles com um coração irregenerado desejam) – os leva a ver uma necessidade e um estado terrível que nunca tinham visto antes em si mesmos – consideram de maneira sensata a partir daí, em que condições eles estão em seus corações diante de um Deus terrivelmente santo... Esta é a marca do coração quando Deus decide lhes manifestar grandes e notáveis misericórdias, quando Ele mostra seu favor soberano.

Esse sentimento profundo de indignidade e auto-desprezo por tudo que se viveu para a desonra de Deus, é a confirmação de que o método divino de operar começou e irá prosseguir na alma do homem. Essa é a evidência quando Deus está prestes a revelar a Sua misericórdia e amor para um eleito em Jesus Cristo.

Jonathan Edwards - “God Makes Men Sensible of Their Misery before He Reveals His Mercy and Love,”

0 comentários:

Postar um comentário

 
Jonathan Edwards | by ©2010