Páginas

22 de out de 2010

As perfeições, a grandeza e a excelência de Deus – Jonathan Edwards


Podemos ver que as manifestações das perfeições de Deus, de sua grandeza e excelência são referidas de maneira bastante semelhante àquela que as Escrituras se referem à glória de Deus.

Há várias passagens das Escrituras que nos levam a supor que esse é o grande objetivo de Deus no mundo moral e o fim buscado por ele nos seus agentes morais, os quais devem agir de modo a cumprir o seu fim. É o que parece ficar implícito na argumentação usada por vezes pelo povo de Deus ao rogar que o Senhor não permita que a morte e a destruição lhe sobrevenham ao afirmar que. nesse estado, não podem conhecer nem tornar conhecida a excelência gloriosa de Deus. Salmo 88.11,12: "Será referida a tua bondade na sepultura? A tua fidelidade, nos abismos? Acaso, nas trevas se manifestam as tuas maravilhas? E a tua justiça, na terra do esquecimento?". E também o Salmo 30.9 ["Que proveito obterás no meu sangue, quando baixo à cova? Louvar-te-á, porventura, o pó? Declarará ele a tua verdade?"]: Isaías 38.18,19 ["A sepultura não te pode louvar, nem a morte glorificar-te: não esperam em tua fidelidade os que descem à cova. Os vivos, somente os vivos, esses te louvam como hoje eu o faço; o pai fará notório aos filhos a tua fidelidade"]. A argumentação parece a seguinte: por que devemos perecer? De que maneira o teu fim, para o qual tu nos criaste, será cumprido num estado de destruição, no qual tua glória não poderá ser conhecida nem declarada?

Esse é o fim da parte boa do mundo moral, ou o fim do povo de Deus, do mesmo modo como o é a glória de Deus. Isaías 43.21: "ao povo que formei para mim. para celebrar o meu louvor". 1 Pedro 2.9: "Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus. afim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz".

E nos parece que tal coisa é apresentada como aquilo em que se manifestam o valor, o verdadeiro fruto e o fim da virtude dos santos. Isaías 60.6: "E publicarão os louvores do SENHOR"; Isaías 66.19: "Porei entre elas um sinal e alguns dos que foram salvos enviarei às nações... que jamais ouviram falar de mim. nem viram a minha glória; eles anunciarão entre as nações a minha glória". Ao que podemos acrescentar a tendência característica e o lugar onde se encontram a verdadeira virtude e as disposições santas. 1 Crônicas 17.8: "Fiz grande o teu nome, como só os grandes têm na terra". Veja também os versículos 23,24: "Estabeleça-se, e seja para sempre engrandecido o teu nome".

Ao que parece, as Escrituras se referem a isso como o fim maior dos atos do governo moral de Deus. especialmente dos grandes julgamentos que ele executa por causa do pecado. Êxodo 9.16: "mas, deveras, para isso te hei mantido, a fim de mostrar-te o meu poder, e para que seja o meu nome anunciado em toda a terra": Daniel 4.17: "Esta sentença é por decreto dos vigi lantes... a fim de que conheçam os viventes que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens: e o dá a quem quer e até ao mais humilde dos homens constitui sobre eles". Mas as passagens relativas a essa questão são numerosas demais para serem repetidas especificamente. Veja nota.

Esse também é o fim maior das obras do favor e da misericórdia de Deus para com o seu povo. 2 Reis 19.19: "Agora, pois, ó SENHOR, nosso Deus, livra-nos das suas mãos, para que todos os reinos da terra saibam que só tu és o SENHOR Deus". 1 Reis 8.59,60: "Que estas minhas palavras, com que supliquei perante o SENHOR, estejam presentes, diante do SENHOR, nosso Deus, de dia e de noite, para que faça ele justiça ao seu servo e ao seu povo de Israel, segundo cada dia o exigir, para que todos os povos da terra saibam que o SENHOR é Deus e que não há outro". 

0 comentários:

Postar um comentário

 
Jonathan Edwards | by ©2010