Páginas

7 de mar de 2010

J. Edwards e os Benefícios da Reflexão

 Segundo Edwards, "quanto mais a pessoa possui conhecimento racional das coisas divinas, mais oportunidades terá, quando o Espírito for soprado em seu coração, de ver a excelência dessas coisas e sentir a sua doçura". Porém, o objetivo de todos os seus estudos era esse gosto espiritual, não apenas por conhecer a Deus, mas também por se deleitar nele, experimentá-lo e apreciá-lo. Assim, apesar de todo o seu poder intelectual, Edwards não era, de maneira alguma, um acadêmico frio, alheio, neutro e desinteressado.
Ele afirmou na sua 64ª Resolução: "Resolvido: Quando encontrar aqueles 'gemidos inexprimíveis' aos quais o apóstolo se refere e aqueles 'suspiros da alma que anseia pelo Senhor' sobre os quais o salmista fala... não me cansarei de buscar de todo coração a expressão dos meus anseios, nem me fatigarei das repetições desse vivo ardor".
Em outras palavras, ele estava determinado a cultivar a sua paixão por Deus e decidido a cultivar o conhecimento de Deus. Esforçava-se por avançar de acordo com seus limites físicos não apenas a fim de encontrar a verdade, mas também, de obter mais graça. Sua 30 Resolução diz: "Resolvido: Empenhar-me a cada semana para ser elevado na religião e para exercitar a graça de maneira superior à da semana anterior".
E, para Edwards, esse progresso era de caráter extremamente prático. Ele dísse à sua congregação o que buscava:
Não procurem crescer em conhecimento visando principalmente aos elogios e à capacidade de competir com outros; antes, busquem esse crescimento para o bem de sua alma, e com o propósito de colocá-lo em prática... Apliquem o conhecimento que possuem. Esse é o caminho para aprender ainda mais ... [de acordo com o Salmo 119.100] "Sou mais prudente que os idosos, porque guardo os teus preceitos".
O objetivo maior de todo estudo - de toda teologia - é um coração dedicado a Deus e uma vida de santidade. O objetivo maior de todo o trabalho de Edwards era a glória de Deus. Eis a coisa mais importante que aprendi com Edwards, a tônica deste livro: Deus é glorificado ao máximo não apenas ao ser conhecido, não apenas ao ser respeitosamente obedecido, mas ao ser desfrutado no conhecimento e na obediência.
Deus fez o mundo a fim de poder transmitir a sua glória, e fez as criaturas a fim de poderem receber essa glória, não apenas na mente, mas também no coração. Aquele que dá testemunho de ter uma idéia da glória de Deus [não] glorifica a Deus tanto quanto aquele que dá testemunho de que aprova essa glória e se deleita nela.
Eis, portanto, a última e mais importante exortação da vida e obra de Jonathan Edwards para nós: em toda a nossa vida, estudo e ministério, procuremos glorificar a Deus ao nos deleitar nele acima de todas as coisas. Esforcemo-nos para saber no mais profundo de nosso ser que a agraça [do Senhor] é melhor do que a vida" (SI 63.3). Encontremos, também, a capacidade de nos libertar deste mundo para exaltar a Deus e de ser transformados em servos mais radicais e sacrificais do bem na terra - para que os homens possam ver nossas boas obras e se juntar a nós na glorificação de Deus ao usufruí-lo para sempre.
Deleitar-se [em Deus] é a única alegria capaz de satisfazer a alma. Ir para o céu e desfrutar o Senhor de modo pleno é infinitamente melhor do que as coisas mais agradáveis aqui da terra. Pais e mães, maridos, esposas ou filhos, ou, ainda, a companhia de amigos terrenos não passam de sombras mas Deus é a substância. Essas coisas são apenas raios dispersos; Deus é o Sol. Elas são apenas córregos; Deus é o oceano.

0 comentários:

Postar um comentário

 
Jonathan Edwards | by ©2010